Durante os últimos 15 anos venho perseguindo e tentando transmitir aos meus próximos, a importância do autoconhecimento e da comunicação intrapessoal (de você para você mesmo), como dois pilares básicos para a eficaz comunicação interpessoal. Quer dizer, você não pode se comunicar bem com os outros nem ter um bom sucesso na vida se não se conhecer nem comunicar bem consigo próprio.

Infelizmente a nossa cultura é focalizada na busca do sucesso material e nunca, nunca mesmo, no autoconhecimento e na felicidade. Todo mundo diz que quer ser feliz, mas quando confrontado com a pergunta: “o que é felicidade?”, eles não sabem responder e nota-se claramente que os caminhos que eles percorrem para alcançá-la são aqueles que geralmente levam ao sofrimento.

Há um ensinamento oriental que diz: “a cada prazer uma mortificação”. Há outro, esse de Kalil Gibram que diz: “alguns de vossos jovens buscam o prazer como se fosse tudo na vida, e são julgados e repreendidos. Eu preferiria não julgá-los, nem repreende-los, mas deixá-los procurar. Pois eles encontrarão o prazer mas não só o prazer. O prazer é uma canção de liberdade mas não é a liberdade”.

O que se pode depreender deduzir, é que o caminho do prazer pelo prazer, nos leva, invariavelmente, mais cedo ou mais tarde, ao sofrimento, não sendo, portanto, um caminho a ser seguido sem avaliar as conseqüências e sem esperar a contrapartida dolorosa.

Vivemos incessantemente buscando o poder e o sucesso como um processo para atingir a felicidade, sem saber que são ilusórios. Na verdade, o caminho é a busca de sabedoria que passa sempre pelo autoconhecimento. Daqui se depreende que antes de buscar a felicidade tão imaginada, é preciso exercitar a consciência e o autoconhecimento, para verificar se a nossa identidade não está sendo agredida pelas nossas buscas mais superficiais ou supérfluas mesmo porque, enquanto seus objetivos não coincidirem com a sua identidade, com suas crenças mais profundas, você terá dificuldades em se realizar como pessoa.

Com muita reflexão, um bom conhecimento geral, boa vivência autoconsciente que nos leve ao autoconhecimento, podemos aprender que a vida só pode ser compreendida olhando-se para trás (nossas crenças, nossa identidade); só pode ser vivenciada atuando no presente e só pode ser enriquecida olhando-se para o futuro.

Sem me arvorar em dono da verdade e em sapiente em qualquer coisa que seja, venho, a partir de hoje, nessa página, trazer para os que, por ventura queiram buscar um pouquinho mais do que já sabem, generalidades sobre autoajuda, sexualidade humana, relacionamentos humanos principalmente na área conjugal, psicologia, filosofia, entre outros assuntos, colocando-me à disposição dos leitores para eventuais questionamentos.

Então, até!

Dr. Juarez de Carvalho Nobre

Casos Relacionados